Março, marçagão…..

Março, marçagão…..

….manhãs de inverno e tardes de verão!

Ainda mal começou o mês e já começamos a sentir na quinta o cheiro e as cores da Primavera, que chega este mês.

O aroma dos poejos que crescem junto das margens da ribeira, inundam a quinta de um cheiro ímpar que nos leva a deambular por paladares outrora experimentados.

Um dia, num repasto entre amigos provei um licor de poejos, e foi como regressar a este aroma da quinta….dei por mim a dizer “este licor sabe à Retorta”, por isso digo, que as ligações afetivas e os vínculos, não se criam por obrigações e/ou decreto lei mas antes por convivências, dedicações e acima de tudo as referências de vidas com histórias. E quando
falamos de vidas e experiências elas resultam da nossa história e que nos reportam sempre para os locais onde sempre fomos felizes! Por forma a manter este imaginário vivo, aqui na quinta temos também o nosso licor de rosas, que a nossa Mãe faz anualmente com as pétalas das nossas roseiras, que temos nas bermas dos caminhos da quinta e na nossa horta, que para além de embelezar a quinta são ótimos indicadores biológicos.

Acredito que quem bebe este licor de rosas consegue voltar sempre à Retorta com a doce lembrança de como a simplicidade do campo e a dedicação das pessoas fazem a diferença nas nossas vidas!

Felizes os que com os aromas e os cheiros conseguem viajar no tempo e no espaço para a felicidade!!

Leave a Reply

Your email address will not be published.